Pesquisa no Blog

segunda-feira, 5 de outubro de 2015

"E AGORA JOSÉ ???"

Por Julio César Gonçalves

Por que ainda me surpreendo com o ser humano e com suas formas brutais e selvagem de resolver as coisas? Hoje me deparei com mais uma atitude dessas (travestida na forma de pesquisa). "50% dos brasileiros acham que 'bandido bom é bandido morto"', "Segundo a pesquisa, 65% das pessoas mais velhas, com 60 anos ou mais, concordam com a morte de criminosos e 30%, não", diziam as manchetes dos principais jornais de hoje. Asserções como estas e muitas outras, revelaram o perfil de alguns brasileiros de hoje, de acordo com pesquisa do Datafolha, encomendada pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP). Muitas questões, nesse e em outros casos, estão em jogo e que eu não gostaria de discutir neste post em específico (guardo a oportunidade para um outro que já está sendo gerado em minhas inconformidades), mas uma em especial gostaria de trazer à baila para nossa reflexão: o anestesiamento das nossas emoções e sentimentos diante das inúmeras atrocidades que o "mundo" tem nos oferecido (Platão que o diga). Encontrei um texto que reflete justamente essa notícia e que me surpreendeu pela linguagem com que foi escrito e pelo teor altamente retórico e verdadeiro com que trouxe seu conteúdo. O texto é de autoria desconhecida, mas vale à pena a leitura, peço licensa de publicá-lo na íntegra.


"Jesus passou a vida arrumando treta por questões sociais. Defendeu assassino, ladrão, puta, pobre e leproso. Juntou uma galera pra defender a causa. Começou a fazer barulho. Conquistou o desafeto da classe média e da elite (ponto pro cara).
Considerado subversivo, foi preso pelo Império. A classe média pedia pena de morte, mas o crime não a justificava. Pôncio Pilatos jogou o B.O. pra Herodes. Herodes se ligou na mesma coisa e devolveu o B.O.
Pilatos deixou pra galera decidir. Bem pensado, porque desde aquele tempo, o povo já tava cheio de dateninha linchador.
O cara foi executado ouvindo piadinha de justiceiro. E não foi morto "entre" bandidos. Foi executado pelo Estado COMO bandido - subversivo, que de fato era. Enfim, o messias cristão foi um sujeito engajado em questões sociais, executado como bandido pelo Estado sob os aplausos dos justiceiros.
Então, Jesus, se você estiver lendo isso e pensando em voltar, fica esperto. Essa 'gente de bem' de hoje em dia vai te matar de novo enquanto come bacalhau e ovo de Páscoa".
Postar um comentário

DIRETO AO ASSUNTO - TEMAS DO BLOG