Pesquisa no Blog

sábado, 19 de junho de 2010

MUSEU DE CIDADE DO INTERIOR PAULISTA É DESTAQUE POR POSSUIR OBJETOS RAROS DA CULTURA GUARANI


Por Tiago Nascimento - Jornalista

Cultura Indígena Preservada

Na cidade de Iepê está localizado um dos mais ricos e preservados acervos arqueológicos da cultura Guarani. Essa herança do período Pré-colonial soma hoje um total de 30.000 peças encontradas, todas catalogadas e expostas para livre visitação no MAI (Museu de Arqueologia de Iepê) inaugurado em julho de 2007,que substituiu o antigo Museo do Índio. 
Em exposição estão pontas de flechas, vasilhas, enfeites labiais, lâminas de machado, potes feitos em pedra e umas das maiores urnas funerárias indigênas jamais encontradas. 
Esses objetos vieram ao conhecimento de arqueólogos após um fazendeiro da região, Olavo Ekman Simões enviar uma caixa repleta de objetos recolhidos antes do represamento da usina capivara, tais objetos estiveram em sua posse por muitos anos até essa decisão. 
Com as sequentes secas em 1998 o nível da água baixou revelando novos objetos, a partir daí Olavo contribuiu incessantemente com a localização de novos sítios arqueológicos e também com a fundação do Museo Local preservando na cidade sua história. 
O MAI conta hoje com área de reserva técnica, laboratório de análise e catalogação de peças, o número de visitantes chega a 10.000 por ano na sua maioria estudantes. 
Tiago Nascimento, estudante e morador de Iepê relata sua apreciação pelo MAI: “O MAI guarda grandes riquezas, é alucinante pensar que em 205 D.C índios já habitavam essas terras. Precisamos dar mais valor a tudo isso e preservar nossa história. Me recordo bem da maior urna funerária indigêna do país, com aproximadamente 1m e 15cm de diâmetro. Quem não conhece deveria fazer uma visita a Iepê”. 
As constantes divulgações pela mídia tornaram o MAI um importante eixo arqueológico do interior paulista servindo como referência para outras pesquisas e arqueólogos interessados na cultura Guarani. 
Paulo Fernando Zaganin - Coordenador do MAI e Mestrando em Letras pela FCL - UNESP de Assis explica sua importância: “Acredito que o Museu de Arqueologia de Iepê seja uma das maiores conquistas do município até o presente momento. O MAI vem cumprindo, desde que foi criado, sua missão de contribuir para o desenvolvimento de atividades de difusão cultural, educação patrimonial e pesquisas arqueológicas. A parceria existente entre o MAI, a FCT – UNESP de Presidente Prudente e O Museu de Arqueologia e Etnologia da USP tem sido de suma importância para o bom andamento de nossos trabalhos. 
A população iepeense pode se sentir privilegiada por abrigar um dos mais importantes acervos do Brasil referente à cultura material da nação Guarani e, ainda mais, por poder dividir essa riqueza com os municípios vizinhos e com os visitantes de todo o Brasil e também do exterior, principalmente com os pesquisadores da área”. 
Iepê que na linguagem indigêna significa lugar único é também sinônimo de “liberdade” para uma cultura que mesmo após dizimada tem ali parte da sua história conservada.
Postar um comentário

DIRETO AO ASSUNTO - TEMAS DO BLOG